Quais perguntas fazer ao buscar suporte para o seu negócio

Tempo de leitura: 10 minutos

Hoje existem diversas aceleradoras, incubadoras, redes e outras organizações que se propõem a dar suporte para o desenvolvimento de negócios. Muitas vezes, as organizações entrevistam os empreendedores nos seus processos de seleção, mas os empreendedores acabam não fazendo o mesmo. 

Esse processo, dos empreendedores selecionarem de quem desejam receber suporte, além de relevante, é necessário. Cada vez mais as palavras “aceleração” e “incubação” não são suficientes para entender o que é entregue, pois têm sido usadas com diferentes significados e muitas vezes até, de forma banalizada.

As dicas abaixo visam auxiliar o(a) empreendedor(a) e trazer algumas perguntas relevantes a serem feitas na hora de analisar uma aceleradora, incubadora ou outra organização de apoio. 

Reflexões iniciais

  • Em quais áreas eu preciso de ajuda?

Muitas vezes, empreendedores encontram dificuldade em perceber o que realmente está sendo uma barreira para o desenvolvimento do seu negócio. Procure ir além dos desafios mais corriqueiros, dos “incêndios” que acontecem no dia a dia, e tente compreender quais são os desafios que originam eles. Pedir a opinião da equipe e de pessoas externas ao negócio, que oferecem um olhar neutro, pode ajudar a aprofundar essa reflexão. Busque também fugir da resposta imediata de “eu preciso de dinheiro” e procure compreender o que está por trás, como, “por que está faltando dinheiro antes do havia planejado?” ou “em quais atividades eu investiria este dinheiro e poderia suprir elas por meio de outros tipos de suporte?” ou mesmo “como preciso me preparar para poder captar esse investimento que desejo?”.

  • É o momento ideal de buscar apoio externo? 

Apesar de trazer inúmeros benefícios aos empreendedores, processos de aceleração e incubação costumam demandar tempo de dedicação do(a) empreendedor(a), tanto em encontros, reuniões, quanto em tarefas e “lições de casa”, entre outras coisas. Assim, empreendedores com grande parte da agenda dedicada a funções operacionais essenciais no dia a dia do negócio devem refletir sobre o tempo que estão dispostos a investir nesses processos e se as atividades que fazem parte do programa estão alinhadas ao que é prioridade hoje para o negócio. Aqui no Quintessa costumamos dizer que não é necessário um tempo “a mais” na agenda para a nossa aceleração, mas que a nossa aceleração é uma forma trazer eficiência e eficácia para o tempo que já seria dedicado pelos empreendedores para os assuntos prioritários.

Em 2015, 2017 e novamente agora em 2019/2020, nós produzimos o GUIA 2.5. O GUIA tem o objetivo de trazer clareza sobre o suporte existente para o desenvolvimento de negócios de impacto e facilitar a conexão entre empreendedores(as) de negócios de impacto e organizações de suporte focadas em negócios de impacto. Assim, o GUIA 2.5 empodera o(a) empreendedor(a), qualificando sua decisão e facilitando o acesso ao suporte que precisa e traz ainda eficiência ao ecossistema, direcionando os empreendedores às iniciativas mais adequadas para seu estágio de negócio e necessidades.

aceleradoras e incubadoras

Teste para facilitar a busca de iniciativas pelos empreendedores disponível no GUIA 2.5

Este texto traz algumas das perguntas que utilizamos no GUIA e que podem te ajudar como um roteiro para que converse com as aceleradoras/incubadoras e compreenda melhor se o que fazem têm fit com o que você está precisando.

Sobre a aceleradora/incubadora

  • Histórico e experiência: Quando a organização foi fundada? Quantos negócios já foram apoiados? Quais são os casos bem sucedidos?
  • Equipe: Qual o número de colaboradores no time? Qual o perfil e experiência prévia deles? Qual o perfil da equipe?
  • Critérios de seleção: Quais estágios de negócios apoiam? Quais são os critérios de seleção? Como funciona o processo, suas etapas e duração?
  • Qual a opinião de quem conhece essa organização de perto?

Acreditamos  que seja essencial haver um alinhamento entre os times das duas equipes: negócio apoiado e organização que oferece o serviço. Isso facilitará que haja transparência e confiança durante o processo. Avalie o alinhamento entre a organização e o seu negócio no sentido de propósito, valores e estilo de trabalho.

Além disso, conversar com um(a) empreendedor(a) que já recebeu suporte da organização e ouvir sua opinião acerca de pontos positivos e negativos da sua experiência é uma ótima fonte de informação. Você sai do “pitch” e vai entender de fato como o processo se dá, com base em quem já vivenciou ele. Cabe a dica de tentar ouvir mais de uma pessoa e também de ir além da avaliação de “bom/ruim”, mas compreender o que a pessoa estava buscando na época e o que lhe foi oferecido.

Para os negócios de impacto, é importante ainda entender se a aceleradora/incubadora tem experiência com o tema, para garantir que uma estratégia recomendada não dissocie o crescimento do negócio com a ampliação do impacto gerado.

Conheça organizações de suporte a negócios de impacto no GUIA 2.5.

Sobre a contrapartida

  • Como se dá a contrapartida pela aceleração/incubação? Preciso ceder participação acionária no meu negócio? Caso sim, quais as condições dessa participação? Continuarão agregando valor ao meu negócio mesmo após o programa? É preciso fazer algum investimento financeiro por parte do(a) empreendedor? Caso não haja investimento financeiro, qual o investimento necessário em termos de tempo em participação no programa?

A contrapartida pelo programa é um ponto importante a ser analisado, principalmente se houver participação societária.  Algumas aceleradoras trabalham com contrapartida financeira, em que o negócio paga uma determinada quantia para participar do programa, enquanto outros programas são gratuitos, principalmente aqueles oferecidos por grandes empresas. Outro modelo comum é envolver equity, ou seja, a aceleradora fica com uma participação acionária na empresa, normalmente aportando investimento financeiro além do programa. Nesse caso, se estabelece uma relação de sociedade, e todos os elementos de análise citados aqui no texto se tornam ainda mais relevantes 

Leia mais: Dicas e práticas para um bom relacionamento entre sócios 

Ao participar de uma aceleração que envolve participação societária, é preciso analisar com muita cautela os valores negociados e ter clareza de quanto vale a sua empresa  (valuation), pois é uma decisão que acompanhará seu negócio por muito tempo e pode te comprometer no futuro. Ouvimos relatos de empreendedores que tiveram dificuldades no momento de captação de investimento por estarem com um cap table muito diluído para o estágio em que se encontravam. Por isso essa negociação não é nada trivial e se necessário, revise o contrato com um(a) advogado(a).

Um outro aspecto é sobre a agregação de valor e sua duração: faz sentido ter por sete anos um(a) sócio(a) com participação de 5% da sua empresa por uma agregação de valor de apenas 4 meses de duração? Este(a) sócio(a) continuará agregando valor após os 4 meses de programa? O valor agregado ao longo destes 4 meses pode realmente mudar o rumo do seu negócio? Aqui estão alguns exemplos de questionamentos que podem te ajudar nesta reflexão, mas o foco é que seja uma decisão lúcida e que você não se arrependa dela mais adiante.

Sobre o suporte oferecido

  • Qual o objetivo do processo? Qual o valor que se propõe a agregar? Qual o diferencial do programa perante outros? Quais tipos de suporte oferece?
  • Como acontece a aceleração/incubação? O processo é em grupo ou individual? Quantos negócios participam do programa ao mesmo tempo? Presencial ou online? Qual a sua frequência e duração? Qual é o grau de personalização para cada negócio?  Como se dá o acompanhamento da evolução do negócio durante o processo? É mais baseado em conteúdos (capacitações e treinamentos) ou no desenvolvimento da gestão por meio de mentorias e implementação de ferramentas de gestão?
  • Oferece desenvolvimento pessoal do empreendedor? Como funciona? Há coaches envolvidos no processo?
  • Oferece acesso a espaço? Quais são as facilidades inclusas? Qual a localização do espaço?
  • Oferece apoio por meio de recursos financeiros? Qual o tipo do investimento realizado: doação, empréstimo, dívida conversível, investimento com participação societária? Qual a faixa de montante investido? Em que momento ele é realizado? Neste caso, reflita também o quanto esse valor é suficientemente relevante para alavancar o seu negócio.
  • Oferece ponte com potenciais clientes e parceiros? Qual a forma de intermediação? São individualizadas ou em eventos coletivos? Quem são esses parceiros? Há uma rede de prestadores de serviço que oferecem descontos?
  • Oferece ponte com potenciais investidores? Qual a forma de intermediação? Qual tipo de investimento é suprido com a ponte? Em que momento é feita a ponte? Quem são esses investidores?
  • Oferece reconhecimento e divulgação? Quais as formas de divulgação: citação em eventos, dentro da própria rede, ponte com imprensa, premiações?
  • Oferece acesso a uma rede de mentores? Qual o número de mentores na rede? Qual o perfil? Qual a frequência e duração dos encontros com mentores?
  • Oferece uma rede de trocas entre empreendedores? Qual a frequência dos encontros? Os encontros são presenciais ou online? Quantos empreendedores participam desta rede?
  • O que acontece depois da aceleração? Existe uma relação de parceria após o processo? Ainda poderá acessar benefícios após ele? Existe uma rede de apoio construída? Em momentos como a crise atual, poderei contar com a organização de alguma forma?

Listamos essa série de perguntas que consideramos importantes de se avaliar e que procuramos explicitar para os negócios durante o processo seletivo do Quintessa. É claro que algumas delas podem ser mais ou menos relevantes a depender do tipo de apoio que você como empreendedor(a) está buscando para o seu negócio.

Vale destacar que os serviços das organizações podem ser complementares (oferecidos de maneira sequencial ou ao mesmo tempo), de forma que mais de uma organização se apresente como adequada para você e seu negócio. Ainda, em outros casos pode ser preciso fazer uma escolha: ou se participa de um processo, ou de outro.

Para nós, não basta que o negócio tenha fit com nossos critérios de seleção, mas também é necessário o entendimento de que o nosso programa irá de fato agregar e fazer sentido para o momento daquele negócio. Se você tem interesse em saber mais sobre aceleração, o nosso time de seleção está disponível para uma conversa sobre o nosso programa, ou uma indicação de possíveis caminhos para você buscar suporte. Entre em contato!

Texto adaptado do artigo de Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa, na Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

O que você achou desse texto?

Obrigado pelo feedback!

Acompanhe nossas redes sociais.

Como podemos melhorar nossos conteúdos?

Conte-nos o que achou do texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *