opinião

O que está faltando e por onde devemos avançar para trabalhar o S do ESG?

O que está faltando e por onde devemos avançar para trabalhar o S do ESG?

2 minutos Além de tirá-lo da sombra do aspecto E, as empresas e fundos precisam debater o S sob os ângulos que mais importam para a melhoria da nossa sociedade Para introduzir o assunto, vale começarmos com dados que orientam o nosso olhar sobre o S do ESG: No Brasil, 1% da população adulta detém 28% da renda, e 10% tem 55,5%. Para os 50% mais pobres, sobram 13%. O Brasil é o 7º país mais desigual do mundo, atrás apenas de nações africanas. Continue lendo

Quem paga a conta do desenvolvimento de um pipeline de negócios de impacto maduro?

Quem paga a conta do desenvolvimento de um pipeline de negócios de impacto maduro?

2 minutos Reflexões sobre caminhos para o amadurecimento do ecossistema No final de 2019 os investimentos de impacto no Brasil somavam US$ 785 milhões, mais que o dobro de dois anos antes (US$ 343 milhões). Com a ascensão do ESG e o olhar dos investidores para o retorno além apenas do financeiro, a tendência é que ainda mais investimento de impacto seja direcionado para o setor (entenda neste outro texto a diferença de investimentos de impacto e ESG). A dúvida que vem então é: teremos um Continue lendo

Podcast | Hidra Podcast com Anna de Souza Aranha

Podcast | Hidra Podcast com Anna de Souza Aranha

menos de 1 minuto Conversas com quem cria – e cresce – na incerteza O Hidra Podcast, de Mariana Fonseca e Pedro Hércules, entrevistou a diretora do Quintessa, Anna de Souza Aranha. O Hidra número 10 está no ar! E pra vestir a camisa da articulação de jogadas e assistências ninguém melhor que a Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa. O Quintessa é uma das principais aceleradoras de negócios de impacto social e ambiental do país, pelo qual já passaram diversos negócios que são Continue lendo

Ouse dar potência à humanidade que existe em você

Ouse dar potência à humanidade que existe em você

4 minutos O que a gente precisa é de gente humana, inconformada, corajosa — e disposta a agir “ESG”, felizmente, chegou ao mainstream. Cada vez mais há recursos para fundos de investimento de impacto. Contornada por diversos conceitos distintos (como Empresas B, capitalismo consciente, capitalismo de stakeholders, negócios de impacto, entre outros), a ideia de que não basta se satisfazer apenas com o lucro e retorno financeiro gerado chegou. A ideia de que é preciso olhar além – seja mitigando riscos, adotando práticas alinhadas aos Continue lendo